Renovação automática: uma “economia” que pode custar caro

A renovação automática de contratos de execução continuada é comumente adotada no mundo corporativo por, em tese, facilitar o dia a dia da parte contratante, que não terá a necessidade de rediscutir o mencionado contrato, bem como impede que a empresa fique exposta a algum período em que, por exemplo, o serviço contratado não seja prestado e/ou que seja prestado sem a devida proteção contratual.

Ocorre que, tal medida, se analisada mais a fundo, pode trazer alguns prejuízos a empresa contratante, tais como: (i) não revisão dos valores pagos pelo serviço; (ii) falta de modernização e/ou evolução tecnológica no ramo do serviço prestado; e (iii) falta de percepção do mercado quanto ao serviço contratado.

Sempre recomendamos a nossos clientes que optem por fecharem contratos com prazos determinados, com a possibilidade de renovação mediante a assinatura de termo aditivo, possibilitando ao contratante uma pesquisa de mercado, bem como a possibilidade de renegociação com a atual contratado, visando sempre a obtenção de um melhor custo benefício na contratação.